:: Principal
:: Agenda
:: Albúm de Fotos
:: Fórum
:: História
:: Mensagem
:: Notícias
:: Webmail
:: Equipe
 

 

CABOS NAS FORÇAS ARMADAS

-----------Cabo é um posto existente em várias forças armadas e forças de segurança, normalmente correspondendo à primeira ou segunda graduação que pode ser obtida por um soldado.

-----------O termo "cabo" vem do Latim "caput" (cabeça), usado com o significado genérico de "chefe". Em outros países, o mesmo termo latino, com o sentido de chefe, evoluiu para "caporal". Nesses países, por exemplo, os termos "corporal" (Inglês), "caporal" (Francês) ou "caporale (Italiano), são usados para designar a graduação correspondente a "cabo".

-----------A designação "cabo" também é usada como título de uma função de chefia em algumas organizações civis.

História

-----------O termo "cabo" foi utilizado nos exércitos da Península Ibérica, pelo menos desde o século XVI, para designar os comandantes das esquadras que constituiam cada um das companhias de Infantaria. Por essa razão, cada um desses comandantes era designado "cabo de esquadra" no sentido de "chefe de esquadra".

-----------Segundo o Regimento dos Capitães-Mores, decretado pelo Rei D. Sebastião I, em 1570, cada uma das companhias, das tropas das Ordenanças de Portugal, seria composta por dez esquadras de 25 homens, cada qual chefiada por um cabo. Os cabos de esquadra estavam, por sua vez subordinados aos capitão da sua companhia.

-----------Em termos similares, na Marinha, a designação "cabo de marinheiros" foi aplicada a um graduado, que chefiava um grupo de marinheiros dentro de um navio.

-----------As funções de cabo de esquadra e de cabo de marinheiros acabaram por se tornar, mais tarde, em postos da categoria de praças, respectivamente do Exército e da Marinha. As designações dos postos foram simplificadas, posteriormente, para, simplesmente "cabo".

Brasil

-----------No Brasil, cabo é um soldado graduado. É o segundo posto no exército, abaixo de terceiro sargento e acima de soldado.

-----------A graduação pode ser recebida em campo ou através de um curso preparatório, chamado CFC (Curso de Formação de Cabos).

-----------Nos tiros de guerra os atiradores egressos que fazem o CFC são promovidos primeiramente a um sub-posto de Monitor, e posteriormente, recebem o a promoção a Cabo da reserva da segunda categoria em sua carteira de reservista ao termino do serviço obrigatório.

Portugal

-----------Nas Forças Armadas Portuguesas existem, actualmente, vários postos de cabo, que correspondem a várias graduações da categoria de praças da Marinha, Exército, Força Aérea e Guarda Nacional Republicana:

  1. Cabo da Armada: é a máxima graduação de um militar da carreira de praças da Marinha. Só pode ser obtida por uma praça pertencente ao Quadro Permamente;

  2. Cabo-de-secção: graduação correspondente à de cabo da Armada, no Exército e na Força Aérea. Como estes ramos não dispõem, actualmente, de um Quadro Permanente de Praças, esta graduação não está a ser atribuída;

  3. Cabo-chefe: graduação correspondente à de cabo da Armada, na Guarda Nacional Republicana (GNR);

  4. Cabo-adjunto: actualmente, a máxima graduação de um militar da carreira de praças do Exército e da Marinha, uma vez que a graduação de cabo-de-secção não está a ser atribuída. A graduação correspondente, na Marinha, é designada "primeiro-marinheiro". Na GNR não existe uma graduação correspondente;

  5. Primeiro-cabo: segunda graduação de um militar da carreira de praças do Exército e da Força Aérea. Até final do século XIX a graduação designava-se "cabo de esquadra". Na Marinha e na GNR, as graduações correspondentes são designadas, respectivamente, "segundo-marinheiro" e "cabo";

  6. Cabo: graduação correspondente à de primeiro-cabo, na Guarda Nacional Republicana;

  7. Segundo-cabo: primeira graduação de um militar da carreira de praças do Exército e da Força Aérea. Até final do século XIX a graduação designava-se "anspeçada". Na Marinha, a graduação correspondente é designada "primeiro-grumete". Na GNR não existe uma graduação correspondente.

Postos de cabo já não existentes:

  1. Primeiro-cabo miliciano: antiga graduação atribuída aos instruendos que terminavam o 2º ciclo dos Cursos de Sargentos Milicianos do Exército e da Força Aérea. O posto foi substituído, em 1974, pelo de segundo-furriel;

  2. Cabo-de-esquadra: antigo oficial inferior responsável pelo comando de uma esquadra. Tornou-se, depois, a segunda graduação de praça, imediatamente superior à de anspeçada e inferior à de furriel. No final do século XIX passou a designar-se "primeiro-cabo".

Fonte: wikimedia

-----------Como podemos observar, desde os primórdios da criação das Forças Armadas, não só no Brasil, como também no mundo, sempre existiu a figura do Cabo, que é a ligação com os soldados, aliás, a base de sua formação é oriunda desse segmento.

-----------No decorrer dos anos, os Cabos vão adquirindo tanta experiência que são capazes de repassá-la a todos os recém-chegados em sua unidade, fato facilmente comprovado em várias Organizações Militares em nosso País.

-----------“Na nossa amada Força Aérea, isso também ocorre, devido à gama de conhecimentos que adquirimos no decorrer dos anos, os Cabos são capazes até de repassar esses conhecimentos ao pessoal oriundo das escolas de formação, sem nenhum constrangimento, pois amam a Força Aérea e o Brasil”.

-----------A classe de Sargentos QESA e Cabos da Aeronáutica é composta de mecânicos, enfermeiros, bombeiros, almoxarifes, motoristas, mecânicos de aviões, desenhistas, carpinteiros, digitadores, torneiros mecânicos, armeiros, músicos, especialistas em guarda e segurança, pintores, rádio-telegrafistas, eletromecânicos etc. (com um efetivo em torno de 7.500 homens em todo o território nacional). Como podemos observar, estão presentes em todos os setores da Aeronáutica.

QESA para Sempre
Todos unidos em busca de um só ideal